Psicoterapia

O que é Psicoterapia?

A psicoterapia é um campo do saber que visa à compreensão do ser humano e de seu modo de existir no mundo. Envolve, portanto, o estudo do comportamento humano bem como o desenvolvimento de recursos metodológicos clínicos que favorecem ao equilíbrio biopsicossocial do indivíduo.

A psicoterapia é um valioso espaço que oferece recursos para se lidar com as dificuldades da existência em todas as formas que o sofrimento humano pode assumir como dificuldades nas transições da vida, crises profissionais, crises pessoais, crises de relacionamentos, conflitos conjugais e familiares, pressões, através de um processo de autoconhecimento para desenvolver a percepção sobre si mesmo e o mundo. (Meister)

Assim sendo, a psicoterapia é um processo de autoconhecimento; promove um maior desenvolvimento da percepção que o indivíduo tem de si mesmo, de seus comportamentos, pensamentos e sentimentos. Nem sempre as pessoas conseguem fazer essa auto-observação, e sofrem porque muitas vezes desconhecem as razões de seu agir, pensar ou sentir. A psicoterapia objetiva o fortalecimento da capacidade de autogerenciamento do individuo, permitindo-lhe tomar para si o rumo da própria vida.

Dentro da psicoterapia existem várias especialidades conhecidas como abordagens: psicanalítica, existencialista, gestalt, cognitivo-comportamental, etc. Cada psicólogo se especializa na abordagem com a qual mais se identifica. Basicamente o que as diferem é a forma como interpretam o funcionamento do indivíduo e o modo de prestar auxílio ao paciente.

Não existe uma abordagem dentro da psicologia considerada a melhor; todas são eficazes desde que aplicadas adequadamente por profissionais especializados.

Darla Lopes trabalha a área da psicoterapia denominada Psicoterapia Cognitivo-Comportamental.

O que é a Psicoterapia Cognitivo-Comportamental?

A psicoterapia cognitivo-comportamental é uma abordagem psicológica moderna que vem mostrando grande eficácia no tratamento de diversos transtornos psicológicos, é uma abordagem terapêutica estruturada, objetiva, ativa e orientada para o presente permitindo rapidez nos resultados, assim como grandes mudanças no indivíduo.

É uma psicoterapia calcada em pesquisas científicas, que procura tratar os sintomas de maneira direta e eficaz, com ênfase no presente. Isto não quer dizer que não sejam tratados aspectos emocionais passados, mas sim que, inicialmente, o foco da terapia é o que mais aflige o paciente. O terapeuta buscará integrar a história do paciente e seus problemas atuais de uma forma diferenciada, que lhe permitirá desenvolver estratégias específicas para lidar com as dificuldades apresentadas.

A psicoterapia cognitivo-comportamental acredita que aspectos cognitivos influenciam o comportamento, a emoção e também a manutenção de psicopatologias, desta forma acredita que mudanças terapêuticas acontecem gradativamente através de alterações nos modos disfuncionais de pensamento, que são responsáveis pelos sentimentos negativos e que resultam em condutas inadequadas ou causadoras de sofrimento.

Os indivíduos atribuem significado a acontecimentos, pessoas, sentimentos e demais aspectos de sua vida, com base nisso, comportam-se de determinada maneira e constroem diferentes hipóteses sobre o futuro e sobre sua própria identidade. As pessoas reagem de formas variadas a uma situação específica podendo chegar a conclusões também variadas. Em alguns momentos a resposta habitual pode ser uma característica geral dos indivíduos dentro de determinada cultura, em outros momentos estas respostas podem ser idiossincráticas derivadas de experiências particulares e peculiares a um indivíduo. Logo o modo como às pessoas interpretam as situações será determinante da maneira como ela irá se sentir, afetiva e fisiologicamente, e de como ela irá se comportar.

A base da psicoterapia cognitivo-comportamental é que os sentimentos e os comportamentos são determinados pela maneira que o sujeito estrutura e interpreta o mundo, como ele pensa, de acordo com suas crenças. Quando o sujeito analisa suas crenças pode modificá-las, afetando seu emocional. Este processo promove autoconhecimento, aprendizado de novas habilidades bem como desenvolvimento das que já existem e maior controle de seus pensamentos/emoções/comportamentos.

Processo Terapêutico da Psicoterapia Cognitivo-Comportamental

A realização do processo terapêutico pode ser uma oportunidade para o paciente adquirir e desenvolver novos repertórios comportamentais e novas crenças. E por meio desse processo o paciente passa por momentos de descobertas e vivências acolhedoras, motivando a uma auto-estima que lhe assegure uma vida com o mínimo de sofrimento. Esses novos repertórios comportamentais são importantes para os indivíduos, pois desta forma o relacionamento intrapessoal e interpessoal tende a ser mais funcional, possibilitando um crescimento pessoal, e uma tendência do sujeito de se sentir mais seguro e capaz para enfrentar os seus problemas cotidianos, fortalecendo suas qualidades e habilidades,

A psicoterapia cognitivo-comportamental tem como objetivos que o paciente:

  • Passe a monitorar seus pensamentos automáticos negativos;
  • Reconheça as conexões entre pensamento, sentimento e comportamento;
  • Examine as evidências a favor e contra seu pensamento automático distorcido;
  • Substitua cognições tendenciosas por interpretações mais orientadas à realidade;
  • Aprenda a identificar e alterar as crenças disfuncionais que o predispõem a distorcer suas experiências;

Agendar atendimento especializado