Artigos sobre Psicologia e Assuntos Gerais

Auto-Sabotagem

Auto-Sabotagem 9 Comentários

Muitas vezes corremos atrás de nossos objetivos, de nossos sonhos, tentamos mudar o que achamos não estar adequado em nossas vidas, mas por mais que tentamos sempre voltamos ao ponto de partida.

“Tudo está como antes…
… Fiz dieta o mês inteiro e quando estava prestes a alcançar meu objetivo, voltei a comer como antes e aqui estou eu depois de um mês de regime com o mesmo peso ou até mais… Mudei de emprego porque meu chefe era difícil de agradar, mas estou com outro chefe difícil de agradar… Terminei o namoro porque o cara era um canalha, mas estou novamente namorando um canalha… Será que a felicidade não foi feita para mim?…
…É como se eu nadasse todo o oceano e quando estava prestes a me salvar acabo morrendo na praia”.

Coincidência falta se sorte ou auto-sabotagem? Há momentos na vida que quando procuramos mudar nos encontramos fazendo os mesmos erros de antes, caímos em armadilhas criadas por nós mesmos. Nos auto-sabotamos, e por mais que queremos mudar, nossos aspectos cognitivos que são nossos pensamentos, crenças e maneira de interpretar o mundo, não mudaram e é isso nos impede de alcançarmos mudanças efetivas.

Sem nos darmos conta, escutamos e obedecemos nossas “verdades”. Atribuímos significados a acontecimentos, pessoas, sentimentos e demais aspectos de nossas vidas, com base nisso nos comportamos de determinada maneira e construímos diferentes hipóteses sobre o futuro e sobre nos mesmos. Muitos destes significados são formados em nossa infância onde inúmeras vezes escutamos o que é certo e errado e aprendemos com nossa família a nos comportarmos no mundo.

Esses significados que atribuímos a tudo em nossa vida, são frutos das crenças que foram enraizadas em nossa personalidade como, por exemplo, uma criança que cresce escutando dos pais amigos e familiares – você é uma baleia, você é gorda, você já comeu muito vai engordar etc. – quando adulta terá a crença de que é gorda, mesmo estando no peso ideal, de que tudo o que comer vai deixá-la enorme, e não se dá o prazer de comer um alimento sem culpa, não desfruta dos elogios de que ela é bonita e que tem um corpo bonito, para ela são inverdades visto que ela acredita (e aprendeu assim) que é gorda, assim com sua auto-imagem distorcida ela se auto-sabota, procura comer corretamente a semana inteira, mas no fim de semana come descontroladamente e pior sofre com isso. Faz uma reeducação alimentar e estando próximo de alcançar seu objetivo, perde o controle e volta ao peso anterior. Pois no meio do processo ela não conseguiu lhe dar com a nova pessoa que ela se transformaria ela iria deixar de ser aquilo que todos falaram “ser ela”, o medo e a insegurança tomam conta da pessoa e ela não se permite ser feliz, alcançar seus sonhos visto que o medo da mudança é maior do que a força para mudar. E ela utiliza a preguiça, orgulho, medo e desanimo como formas de auto-sabotagem.

Cada vez que desconfiamos de nossa capacidade em superar obstáculos, cultivamos um sentimento de covardia interior, que bloqueia nossas emoções e nos paralisa e muitas vezes quando finalmente estamos nos sentindo bem é que ocorre a auto-sabotagem. Não é fácil perceber que a traição começa em nós mesmos, pois nem nos damos conta de que estamos nos auto-sabotando.

Como foi comentada anteriormente a auto-sabotagem vem de um ciclo onde desde crianças aprendemos a repetir tais padrões comportamentais, e eles se tornam automáticos assim nem percebemos que estamos agindo de tal maneira isso explica porque nos auto-sabotamos,destruímos a nossa própria vida e não percebemos a nossa responsabilidade nisso tudo.

Voltando ao exemplo da pessoa que cresceu escutando que era gorda e que não tinha controle na sua alimentação, ela desde criança repete os mesmos comportamentos como um ciclo, compra uma caixa de bombo e come toda de uma só vez se empanturra e mesmo estando cheia continua a comer mesmo pensando que vai engordar não consegue parar, e depois de comer tudo se arrepende, se culpa, e repete tudo aquilo que aprendeu sobre ela – sou gorda, e não consigo emagrecer, não consigo me controlar… – isso é auto-sabotagem e quando se vê está repetindo o mesmo comportamento, tem necessidade de repetir um comportamento mesmo que destrua a felicidade ou sua vida. A pessoa passou uma vida construindo uma percepção equivocada e tem medo de mudar e contestar o que sempre foi uma lei.

Mas, Por que as pessoas se auto-sabotam?

Porquê aprenderam que para serem aceitas e amadas deveriam ser do jeito que todos esperam que elas sejam, faz isso como uma compulsão e internamente essa repetição é a única forma de viver razoavelmente bem, mas o pior de tudo é que elas não se sentem felizes, porquê elas não conseguem ser quem elas realmente gostariam de ser.

Por essas razões algumas pessoas têm dificuldades em usufruir plenamente a satisfação de um desejo. Conseguir realizá-lo só traz angustia e ansiedade, porque essa concretização vai contra algumas de suas crenças, entre elas a de que não temo direito de ser feliz realizando os seus desejos.

Quando estão se sentindo bem geralmente sentem culpa porque estão rompendo uma crença instalada na infância. Sentem medo por que possuem grandes expectativas, medo de dar tudo errado no final, medo de se tornar outra pessoa, medo do desconhecido.

A auto-sabotagem é uma forma de pedido de socorro, uma forma de chamar atenção de que algo não esta certo, que é necessário prestar atenção no que esta motivando nossos comportamentos. São sinais de algo que não está bem e que precisa mudar para sermos mais felizes ou, ao contrário, indícios que se está muito bem, mas que uma parte de nós não permite que isso aconteça.

Como mudar isso? O que fazer?

Encarar que você está num ciclo de repetições é o primeiro passo para você superar isso. É exatamente quando você reconhece que está num ciclo e que isso te faz sofrer que você consegue rompe-lo.

Reflita sobre quais são as atitudes e circunstâncias repetitivas que te prejudica. Faça perguntas a você mesmo tentando detectar culpas, medos, raivas ou fatos negativos da infância que pode explicar suas crenças negativas. O que te faz sofrer, e que você não consegue mudar.

Procure se auto-conhecer!

Pois só quando nos conhecemos de verdade é que passamos a ter consciência de nossos erros e que não seremos mais vitimas deles.

É necessário sabermos quem somos realmente e não quem dizemos que somos, parar de mentir para nós mesmos, de nos iludimos com falsas felicidades, parar de nos contentar com migalhas e corremos atrás do verdadeiro eu, da verdadeira felicidade.

Existe uma grande diferença entre querer e fazer acontecer. Aliás, faça uma retrospectiva e identifique quantas vezes você já disse a si mesmo que mudaria a respeito de alguma coisa e mesmo assim não conseguiu agir diferente. Isso pode fazer com que você se sinta mal, mas, enquanto você não encarar a realidade, vai continuar vivendo de ilusão e inventando mil desculpas. E não há nada mais absurdo do que enganar a si mesmo.

Você pode dar os primeiros passos e caso necessite de ajuda procure um profissional como um psicólogo cognitivo-comportamental, que ira trabalhar com você os aspectos cognitivos que influenciam seus comportamentos e emoções.
Na terapia cognitivo-comportamental as mudanças acontecem gradativamente através de alterações das crenças distorcidas, que são responsáveis pelos sentimentos negativos e que resultam em condutas inadequadas ou causadoras de sofrimento.

A base da psicoterapia cognitivo-comportamental é que os sentimentos e os comportamentos são determinados pela maneira que o sujeito estrutura e interpreta o mundo, como ele pensa, de acordo com suas crenças. Quando o sujeito analisa suas crenças pode modificá-las, afetando seu emocional. Este processo promove autoconhecimento, aprendizado de novas habilidades bem como desenvolvimento das que já existem e maior controle de seus pensamentos emoções e comportamentos.

9 Comentários

  1. gabriel disse:
    04/11/2010 às 17:49

    Treino basquete a uns 3 anos e nos treinos me saio super bem, mas quando chego na hora do jogo sou tomado por uma medo de não fazer nada em quadra e sinto que perco parte de minhas forças e tudo que treinei “vai para o saco”, acabo me saindo mal e jogando como alguem que acabou de começar a jogar. Quando acaba o jogo fico me sentindo péssimo e começo a pensar em melhorar, treino e me saiu super bem, mas na hora do jogo acontece o mesmo. Não sei com que frequencia o o blog é atualizado, mas tem como alguem me responder se isso pode ser auto sabotagem?

    1. Psicóloga Darla Lopes disse:
      24/11/2010 às 12:05

      Gabriel, Pelo que vejo o seu baixo desempenho no momento de competição pode ser sim auto sabotagem, visto que você se dedica ao máximo e no momento de ser recompensado com um bom desempenho você se comporta de forma contraria. Observe se você tem dificuldades em lhe dar com pressão em especial no âmbito social, muitas vezes estamos preparados para uma determinada situação porem quando nos expomos socialmente isso gera uma ansiedade tamanha que nosso corpo e nossa mente não respondem da maneira que queremos, isso se dá muitas vezes por falta de confiança em nós mesmos. Como anda sua autoconfiança e sua auto-estima? Se você percebe que a auto sabotagem, associada com a ansiedade e baixa auto estima está lhe causando sofrimento de alguma forma, procure um psicólogo ele poderá te auxiliar a obter melhor desempenho psíquico, comportamental e emocional.

  2. gabriel disse:
    06/12/2010 às 11:47

    tenho 21 anos e embora tenho cursos tenho “medo” de trabalhar em uma empresa e uma especie de vergonha de ter que trabalhar.Na hora da entrevista me comporto nomalmente mas nunca me chamam.pra mim sou timido embora todos digam que não, tento vencer meusmedos mas nao consigo,um dia estou la em cima e no outro la embaixo,as vezes acontece no mesmo dia.Pra mim parece que nao tenho força pra sair dessa situação tenho medo de me relacionar,e sempre fico dando ouvidos ao que os outros falam de mim etenho vergonha do que é certo em alguns casos.Isso pode ser auto sabotagem?

    1. Psicóloga Darla Lopes disse:
      03/01/2011 às 11:51

      Gabriel, Pelo seu relato acredito que não seja auto sabotagem e sim dificuldades nas habilidades sociais somada a baixa auto-estima e baixo auto conceito.
      Todo ser humano ao longo de sua vida adquire habilidades para lhe dar com varias situações, porem muitos não conseguem lhe dar com situações especificas por falta de repertorio comportamental e cognitivo, essa falta de repertorio acontece muitas vezes por nunca ter vivenciado determinada situação ou por não ter desenvolvido o auto conceito (acreditar que ser capaz de …, confiar em si mesmo) e a auto estima (valorizar suas qualidades). E no seu caso alem da baixa auto-estima e auto conceito esta evidente a auto cobrança onde você alem de se culpar por seus comportamentos inapropriados preocupa-se excessivamente com o que os outros estão pensando sobre você.

      Gabriel procure ajuda psicológica de preferência Cognitivo-Comportamental, e te afirmo com segurança que você conseguirá superar esse medo de se expor a sociedade, irá adquirir auto-estima e auto conceito através de auto conhecimento.Isso é claro se você quiser pois nenhuma mudança acontece se não estamos dispostos a tal.

  3. tenho dificuldades em entrevista, chupo o dedo desde pequena tenho 28 anos quero parar e nao concigo ,meu marido me deichou e estou mal disse:
    28/01/2011 às 18:45

    tenho dificuldades em entrevista,me tremooooo muito , chupo o dedo desde pequena tenho 28 anos quero parar e nao concigo ,meu marido me deichou e estou mal
    queria ser normalllllll

    1. Psicóloga Darla Lopes disse:
      28/01/2011 às 20:35

      Pelo visto você está passando por um momento muito difícil em sua vida, mas como você mesma disse não é só o problema do divorcio mais também em relação a sua auto-estima e outros comportamentos que você observa e sabe que não são apropriados. Procure ajuda psicológica o mais rápido possível de preferencia cognitivo-comportamental, imagino o quanto está sendo difícil e nesses momentos muitas vezes necessitamos de ajuda para renascer e ter uma vida melhor e feliz.

  4. Andréa disse:
    09/05/2011 às 17:14

    Sou uma pessoa procrastinadora, sempre adio tudo que deveria ser feito, nunca consigo cumprir meus compromissos, e isso ocorre em todos os campos da minha vida, seja profissional, acadêmico e até pessoal. Já tentei mudar várias vezes, planejo minha rotina de tarefas, anoto tudo na agenda, mas nunca consigo cumprir. Isso me faz sofrer bastante pois me sinto incompetente, incapaz de realizar as coisas mais simples. Preciso de ajuda!

    1. Psicóloga Darla Lopes disse:
      10/05/2011 às 11:48

      Andréa, quando sentimos que algo não esta bem em nós e que por nós mesmos não conseguimos mudar, é o momento de buscar ajuda. Procure um psicólogo com toda certeza ele vai te ajudar a superar isso e a conseguir uma mudança de vida. Por suas palavras percebe-se que você é uma pessoa que se cobra muito por isso qualquer coisa que você desista vai te causar grande sofrimento devido a sua auto-cobrança… você impõe uma meta e quando não a alcança sofre… tente ser mais flexível consigo mesma, comece fazendo planos menores e mais acessíveis assim você vai aos poucos cumprindo-os e progressivamente poderá fazer planos mais longos e mais complexos a serem alcançados. Procure um psicoterapeuta cognitivo comportamental ele com toda certeza ajudara você a alcançar seu primeiro objetivo que é dar o primeiro passo para uma vida mais saudável e equilibrada.

      Psicóloga Darla Lopes

  5. Raquel disse:
    12/02/2016 às 11:07

    Top, a melhor explicação sobre auto-sabotagem que já li !!!